Header Ads

Resultados do Concurso Conto da Princesa


Ola, galera! Hoje estamos anunciando os ganhadores do concurso Conto da Princesa e publicando as histórias que eles criaram para a Lian. Todas as histórias enviadas foram muito boas, porém tivemos que ir pontuando e considerando cada aspecto que contava nos critérios para decidir os vencedores. Desculpem o atraso da postagem, estive ocupada com outras coisas pessoais aqui e só pude publicar agora.

Se você esteve por fora, o concurso Conto da Princesa foi criado por nós do Toca do Pip para ser uma maneira diferente de distribuir skins da Lian (Poente), baseado no concurso de Lore que aconteceu no Reddit do Paladins (porém lá contavam apenas histórias em inglês). Você pode conferir todas as entradas do concurso nos comentários da postagem.

Nossos ganhadores são: Paulo Ferreira, com a história A Escolhida da Casa de Aico e Lianni Hikari com a história Verdadeiro Valor. Parabéns! Aos outros participantes, suas histórias foram muito boas, nós lemos todas e consideramos bastante antes de escolher os vencedores. Em breve teremos mais concursos nesse estilo.


A Escolhida da Casa de Aico - Paulo Ferreira

Lian, nascida na casa de Aico, tinha como propósito ser a mais nova princesa do Reino, tinha, até algo acontecer.

Pouco tempo depois de seu nascimento, um Elfo velho e sábio, chamado Torvald, descobriu algo novo, algo diferente, algo denominado pelo próprio como "Cristais Paladinos". Em uma rápida avaliação do que seria, Torvald, com sua sabedoria, percebeu que os cristais possuíam algo que outros materiais não tinham, e então decidiu fazer um estudo complexo sobre o mesmo. Em seu estudo, descobriu que os cristais poderiam ser usados como fonte de eletricidade, pois ele emana uma energia única e forte, mas ele ainda não sabia tudo sobre os Cristais Paladinos. Decidiu ajudar a sociedade, usando os Cristais para o crescimento coletivo de todos. A prosperidade reinou por conta destes cristais.

Retornando para casa de Aico, Lian teve uma infância que pode ser resumida em uma preparação para ser Princesa, com tudo do melhor luxo. Um dia, Lian foi até o cofre de seu Reino escondida, onde se armazenam os Cristais Paladinos, mas ela notou algo diferente, ao tocar nos cristais e inspirar fundo, Lian adquiriu habilidades de luta, súbitamente, sem nenhum treino ela já dominava várias artes marciais, mas a própria decidiu não contar para ninguém sobre as habilidades dos Cristais, pois estava com medo de perder o posto de Princesa por adentrar ao cofre, mas mal sabia que estaria cometendo um dos piores erros de sua vida.

Ao completar 18 anos, Lian finalmente assumiu o posto de Princesa, em uma cerimônia espetacular, com a presença de todos do reino. Somente uma pessoa não compareceu, mais precisamente, um Elfo. Este seria Torvald, que decidiu não comparecer pois estava se aprofundando no estudo dos Cristais, e no mesmo dia, deve uma experiência estranha. Ele estava apoiando um Cristal em uma pedra para poder observa-la melhor, e ao mover uma pequena pedra para trás da Pedra maior, formando o formato de uma mão, a pedra e o Cristal começaram a tremer e levitar, então, depois de uma explosão de luz, as Pedras e o Cristal, para a surpresa de Torvald, se fundiram e se tornaram uma Manopla, e após isso, para a surpresa do velho Elfo, um monte de cristais havia sumido, e se fundido com um cristal posicionado no meio da Manopla, assim formando um único cristal, com mais poder que todos, aquele Cristal era especial, e foi apelidado de "Cristal Mestre" por Torvald. O mesmo, decidiu manter sua Manopla em segredo, por medo dela cair em mãos erradas. 

Do outro lado do Reino, havia um futuro guerreiro em treinamento para fazer parte da guarda real, seu nome era Zhin. Zhin sempre fora obcecado por poder, mas nunca teve o mesmo, e isso provocava um sentimento de raiva dentro do futuro guerreiro. Depois de muito treinamento, Zhin finalmente se tornou um guerreiro, o melhor de toda a Guarda, mas apenas um guerreiro superava-o, o líder da Guarda. Um dia, Zhin, em um ataque de fúria causado pela raiva e inveja guardadas dentro de si, atacou a Guarda com o intuito de tomar o poder a força. Junto com alguns soldados, de forma desonrosa, tomou parte da Guarda e formou sua Guilda, foi impedido a tempo de tomar o controle de tod a Guarda por Lian, que pelas técnicas de luta aprendidas depois do contato com os Cristais, conseguiu vencer Zhin, expulsando-o do Reino. 

Zhin, por sua vez, conseguiu alguns Cristais Paladinos, e em um momento em sua Base, encostou uma simples espada em um dos Cristais, no mesmo instante, a espada se transformou em uma espada extremamente ágil, rígida, leve e precisa, além de poder ser posta em chamas, e com isso, após esta descoberta, fez experimentos com seu exército, descobrindo que para cada soldado, a pedra dava um poder ou habilidade diferente, e com seu exército , atacou violentamente e desonrosamente o Reino, o deixando em ruinas, poucas pessoas escaparam, Lian, a Princesa, Fernando, um guarda do Reino, o elfo Torvald, uma mercenária que estava cumprindo uma missão de atirar em um membro influente da Realeza, chamada Kinessa, e um Segurança direto da Princesa, Viktor. 

Não houveram chances para a Guarda Real, pois o exército de Zhin possuía poderes "Sobrenaturais" para o povo, e a cidade foi dominada e transformada em ruínas em pouco tempo. Em uma tentativa de arrombar o cofre onde se encontravam os Cristais Paladinos, Zhin provocou uma enorme explosão, que além de dispersar os cristais, debilitou seu exército. Poucas pessoas conseguiram recuperar os Cristais, apenas uma bruxa que vivia na tundra, chamada Evie, uma Bruxa do Abismo, chamada Seris, uma gatuna, chamada Maeve, um membro da famigerada "Força da lei", Lex, uma Elfa chamada Skye, e alguns outros. A gigante explosão não chamou atenção apenas do povo dos arredores, ela afetou o Mar, a Floresta e uma ilha de Pedra, localizada perto da costa. Algumas entidades foram despertadas e irritadas, pelo dano infringido pela explosão em seus ambientes, sendo eles: Makoa, o guardião das marés, Inara, a guardiã da Ilha de pedra, Willo, guardiã das terras do verão, e Grover, guardião da Floresta, que obteram parte dos cristais.

Estes cristais que se dispersaram, emanavam muito mais energia do que os outros, e deu habilidades especiais e poderes aos portadores, mas, com uma condição: que os mesmos usassem os Cristais Paladinos em suas vestimentas. Alguns exemplos de poderes que os Cristais poderiam oferecer são: Habilidade de manipular o elemento Gelo, obtido por Evie, invisibilidade e furtividade, obtido por Skye e muito mais... 

Lian, alguns dias depois foi visitar as ruínas de seu antigo Reino, lugar agora chamado de "Praia das Serpentes", e aos prantos por seu povo e seu Reino, tomou uma atitude radical: Declarou guerra contra Zhin e contra todos os que se opuserem a Princesa. O guerreiro e a Princesa entraram em um acordo de lutarem sozinhos, por si próprios, sem nenhum exército. Lian, como precisava de uma arma para lutar, tomou posse de um Rifle que fora herdado de sua família real, forjado no início do Reino, e fundiu o Rifle com alguns Cristais, assim, fazendo o Rifle atirar pequenas cargas de energia geradas pelo Cristal.

Mas este conflito não envolveu apenas os dois, também se envolveram outras pessoas, Maeve, a gatuna, por conta de conflitos com Zhin gerados por conta de suas respectivas Guildas, Sha Lin, um ex membro da Guarda Real que era secretamente apaixonado por Lian, Bomb King, para fazer sua Monarquia secreta crescer diante do momento de fraqueza de Lian, e muitos outros. Durante 3 árduos meses, ocorriam diversos conflitos intensos entre somente portadores de Cristais Paladinos, em lugares variados, desde uma Serralheria abandonada até um templo perdido na Selva, isso iria se tornar um ciclo vicioso, até que aconteceu algo. Em uma atitude de pura covardia e desonra, Zhin, na calada da noite, invadiu o lugar onde Lian permanecia, para acabar de uma vez por todas, com suas próprias mãos, Lian conseguiu revidar, mas foi empurrada do penhasco, pelas mãos de Zhin, diante das lágrimas de Sha Lin, e desde então não foi vista por um longo tempo. 

Mas o conflito não acabou, somente se tornou mais árduo por causa da atitude covarde de Zhin, e o Sábio Elfo, Torvald, decidiu que tinha que interferir no conflito, para acabar com o que infelizmente ele mesmo criou, tomou esta decisão pois apenas ele sabia como inibir o poder dos Cristais, com uma combinação de comandos e sua Manopla, formando uma explosão rúnica. Assim, adentrando ao combate. Mas não foi o único, Como o conflito estava degradando todo o ambiente, as Entidades se juntaram ao combate, Makoa, com um canhão e uma âncora recuperados de um navio naufragado, Inara, com uma lança de Pedra, Willo, com uma Varinha feita de Plantas, e Grover, com um Machado, todos com Cristais Paladinos embutidos. 

Enquanto isso, em uma cabana na Selva, Lian se recuperava do embate desastroso com Zhin, e treinava para ficar cada vez mais forte, enquanto todos achavam que Zhin tivesse tirado sua vida. Durante seu treinamento, Lian lembrou do que sua mãe lhe disse durante a cerimônia de coroação, que ela podia ser desde uma Cozinheira, Alquimista... Até uma renomada Guerreira, desde que favoreça o Reino e o faça prosperar, e isso a inspirou mais ainda pra fazer a diferença, e a Guerreira e Princesa volta para a batalha, interrompendo o combate entre Maeve e Zhin, e surpreendendo todos, e desferindo um tiro contra Zhin. E então, depois do momento de surpresa, a batalha continua.


Verdadeiro Valor - Lianni Hikari

— Meu rei, possui mesmo a certeza em deixar o nosso país inteiro nas mãos de sua única herdeira? — um homem de aparência jovial, com cabelos totalmente negros e olhos em um tom castanho escuro se dirige ao outro que estava sentado em sua frente enquanto remexia os papéis na larga mesa que os separava. Este que possuía cabelos grisalhos parou no mesmo instante o que fazia para encarar a pessoa com um olhar desafiador, íris vermelhas encontrando-se contra íris castanhas.
— Algum problema com isso, ministro Clyde? Ela tem toda a capacidade de governar esse país sozinha, só necessita de todos os cuidados e educação que estamos lhe proporcionando agora — Indagou, esquecendo-se dos seus papéis e voltando toda a atenção ao seu companheiro, esperando uma resposta apropriada.
Enquanto ocorria as discussões entre os dois homens, uma garota que aparentava possuir sete anos se aproximava correndo pelos corredores de sua casa, seu cabelo cinza balançando com o movimento fazia com que pequenos fios passassem discretamente pelo sorriso que possuía em seu rosto. Seus olhos azuis cintilavam enquanto olhava ao redor procurando algo, até encontrar uma porta entreaberta, correndo até o local e quase tocando a maçaneta para abri-la completamente.
— Pap... — antes mesmo que conseguisse completar sua frase e segurar a maçaneta, ela se assustou com um barulho estrondoso vindo de dentro do cômodo, parando no mesmo instante e dando um passo para o lado, para que não ficasse à vista dos que estavam presentes na sala.
— Você está querendo dizer que minha filha não tem capacidade para tal legado? Ela é a descendente dos Aico, uma família de prestígio que esteve por várias décadas na linhagem real! — o senhor que estava com os papéis havia se levantado subitamente de sua cadeira batendo com força seus punhos sobre a mesa.
— Rei Leon, primeiramente me perdoe pela insegurança ao perguntar esse tipo de coisa à vossa alteza, mas estou incerto de ter uma mulher no poder por ser a primeira em todos esses anos. Em minha opinião, ela não conseguiria comandar todos os guardas e o povo. — relatou, dando uma pequena pausa enquanto gesticulava em direção a uma das janelas, ilustrando o reino que estava tentando proteger. — Lembre-se de sua falecida esposa como era frágil, ela pode vir a ser apenas uma garota com uma saúde debilitada... — Clyde foi aos poucos se aproximando de seu senhor, em cada palavra dita seu tom de voz ia se abaixando até serem apenas sussurros, estava sendo cauteloso para não adentrar tanto um terreno perigoso.
A garotinha que ainda se encontrava no mesmo lugar estava imóvel, ela sabia que estavam falando sobre si, conseguia entender a situação mesmo sendo nova. Após perder sua mãe por uma doença desconhecida que apareceu repentinamente, aprendeu a não confiar em muitas pessoas em sua volta, principalmente aquelas que mais possuíam contato com seu pai, pois uma delas poderia ter sido a causa de sua mãe não estar mais entre eles. — Pai... — sussurrou para si mesma tentando não fazer muito barulho, apertando seu punho enquanto se esquecia do verdadeiro motivo que a levou até ali.
— Possuo vários filhos que poderiam te auxiliar com esse trabalho maçante, eles foram bem disciplinados para servir à sua alteza — o ministro sussurrou na orelha do rei, dando um leve sorriso imperceptível. — Apenas desejo que nosso país não sofra as consequências por decisões imaturas de uma mulher no poder. Peço que vossa alteza pense bem nesses conselhos enquanto eu estiver fora viajando a negócios — Clyde volta ao tom normal, se afastando do rei enquanto demonstrava um olhar preocupado.
— Pensarei no seu caso, ministro Clyde, mas por enquanto me deixe só, necessito pensar sobre o assunto... — Leon estava com um olhar distante, relembrando os momentos com sua esposa até sua morte. Cerrou os punhos com força enquanto manteve a postura ereta e o rosto neutro, tentando não demonstrar a tristeza que o acometera. Se sentia subitamente cansado, sentando-se novamente na cadeira olhando os papéis espalhados pela mesa.
— Como queiras, vossa alteza — Ele deu uma pequena reverência e se preparava para sair da sala, a criança que ainda se encontrava ali ouviu seus passos e saiu correndo em disparada para o local de onde veio, pensando no que tinha escutado sobre não ser capaz de governar por ser uma mulher enquanto algumas pequenas lágrimas caíam de seus olhos.

—-----

Dez anos se passaram após a conversa entre o ministro e o rei, a pequena garotinha que agora cresceu e estava prestes a se tornar adulta treinava constantemente dia após dia com um rifle passado há várias gerações em sua família. Seu pai a acompanhava de longe sentado em uma cadeira enquanto batucava os dedos nervoso em sua coxa direita.
— Pode vir Richard, não se segure, senão vai acabar morrendo — A garota que agora possuía um longo cabelo colocava sua mão esquerda por baixo deles, jogando-os para o alto na tentativa de provocar um rapaz de cabelos castanhos e olhos cor de mel que estava em sua frente segurando uma espada longa. Ele hesitou por um momento mas logo em seguida correu em sua direção, desferindo um golpe na horizontal na altura do joelho.
 — Se você ficar mesmo me tratando como uma garotinha nessas lutas diárias, eu realmente não pegarei leve em não atirar diretamente em você — ela caçoou enquanto pulava de uma maneira graciosa, aterrissando nas costas do garoto que se virava para outro golpe, agora de frente. — Nesse jogo, você ganha ou você morre. Não há meio termo — avisou enquanto se esgueirou para o lado, evitando assim o ataque.
— Sigo ordens de não machucá-la, princesa Lian — Richard disse enquanto tentava aplicar outro golpe com a espada, tomando o devido cuidado de não ser rápido o bastante e acabar machucando-a gravemente. — Se algo acontecer, eu e meus homens seremos punidos... — antes mesmo que conseguisse dizer mais alguma palavra, sentiu sua espada ser parada pelo rifle e um golpe forte ser aplicado em seu estômago, jogando-o um pouco no ar, ela tinha lhe dado um chute.
— Nunca se esqueça Richard, ou você é punido pelo meu pai, ou será morto por mim se ainda continuar com esses pensamentos — Lian após dar seu golpe, apontou sua arma perto do rosto do rapaz que agora estava caído no chão, dando um tiro que pegou de raspão na bochecha esquerda que começava a sair um filete de sangue. — Não sou uma garotinha que precisa de tantos cuidados, serei a nova rainha desse país e me tornarei forte para mostrar que posso honrar meu futuro título.
— Quanto mais se segurar, mais terei vontade de matá-lo, lembre-se disso líder da guarda real... — ela lançou então um olhar de desprezo, antes de lhe dar as costas. — Pense bem nas minhas palavras. Essa luta acabou por agora. — e assim começou a andar em direção ao local onde seu pai se encontrava, dando um leve suspiro de decepção.
— Não acha que foi um pouco dura com ele? — o rei levanta de sua cadeira e vai até sua filha, seguindo o olhar para o rapaz de antes que estava agora sendo ajudado pelos seus guardas.
— Se eu não lhe dizer verdades, como poderei governar esse país? Pai, eu sei do que o ministro Clyde falou com você anos atrás, ele estava tentando impor um poder sobre seu título utilizando um de seus filhos. Não deixarei que isso aconteça, vou mostrar a todos que posso sim ser forte e mostrar que eu tenho condições de assumir o seu posto futuramente. — Lian olha para seu rifle, passando a mão sobre o cano da arma lentamente.
— Eu sei filha, mas Clyde faleceu em uma das viagens políticas, não deveria mais se preocupar tanto com isso — Leon se aproximou um pouco dela, levando a mão até seu ombro.
— Pai, ainda há muitas pessoas que pensam como ele, não posso simplesmente baixar a guarda, quero mostrar a todos que sou digna — a garota retira a mão de seu pai delicadamente de seu ombro. — Irei honrá-lo, eu prometo — disse seriamente, dando uma leve reverência com a cabeça enquanto prosseguia seu caminho para fora do campo de treinamento.
Após inúmeros dias treinando, os homens com quem treinava além do líder da guarda real pegavam pesado com a princesa, lutavam mais por suas vidas do que para auxiliá-la. De tanto se esforçar para se tornar mais forte, os soldados e guardas que a acompanhavam de longe começavam a se sentir cativados com sua dedicação, mas nem todos estavam satisfeitos com isso.
— Vocês ainda estão achando que não posso ser a rainha desse reino e comandar uma tropa para uma guerra? — Lian bateu os punhos com força na mesa onde continha alguns mapas e anotações de combate. Os vários homens ali presentes: ministros, líderes de guerra e seu pai, a observavam. — Estive em treinamento por vários anos, dez para ser mais exata, para esses momentos e não querem que eu lidere um exército?! — seu olhar passou desafiador entre todos os rostos presentes.
— Me perdoe princesa Lian, mas eu ainda não posso confiar os nossos soldados à vossa alteza. Sua experiência de batalha ainda é mínima, seus treinamentos foram apenas internos, como eu poderia deixá-la sair em uma batalha tão grande como essa? — um senhor de cabelos loiros e olhos azuis a encara, sua barba estava bem feita e ele não revidava o olhar da garota.
— E como sabem se algo de ruim ocorrerá se eu liderar? Se eu não tiver essa oportunidade agora, quando poderei ter uma para mostrar meu verdadeiro poder? Vocês me enojam — a princesa bateu novamente com um pulso na mesa e se retirou da sala, todos os ali presentes ficaram em silêncio. — Mostrarei a vocês que sou forte e digna para obter o cargo de meu pai... —  sussurrou assim que saiu.

—---

Enquanto a guerra colidia próxima ao reino, a garota de cabelo cinza se preparava para sair do castelo onde residia, pegou roupas que pudessem lhe auxiliar em movimentos de luta, alguns suprimentos e seu rifle. Não estava com vontade de sair escondida do lugar e assim se encontrava indo sozinha para o grande portão de sua casa.
— Pai, sei que está preocupado com o que farei agora, mas espero que não me interfira... Não deixarei com que esses velhos atrás de você falem mais mentiras ou tentem roubar o poder que estará em minhas mãos em breve — Lian avisou no momento em que reparou que seu pai e outros homens de altos cargos iam em sua direção. — Sairei pelo mundo a procura de aventuras, entrarei em lutas por mim mesma e voltarei em toda minha glória para mostrar a todos o meu valor — se virou por um instante, mostrando um sorriso confiante a todos ali presentes.
— Eu sei filha. Confio no seu potencial após ver com meus próprios olhos o resultado de todos os treinamentos até agora, só espero que volte bem. Vá e volte com cuidado — Leon lhe dá um sorriso caloroso fazendo com que ela desse uma leve reverência com a cabeça e voltasse a andar para fora do portão.
— Princesa, volte para nós! Boa viagem! Não se esqueça de nós! — ela ouviu os guardas que ainda ficaram no castelo gritando animados, confiavam nela e não se abalaram pelas palavras dos nobres. Lian apenas deu um aceno com a mão direita sem se virar.

—---

Um ano se passou após o começo de sua viagem, passou por vários lugares, participou de várias lutas e experiências, conseguindo até liderar um grupo para impedir um pequeno conflito entre duas casas. Ainda estava longe de conseguir demonstrar seu verdadeiro poder apenas com essas coisas, imersa em pensamentos não reparou que adentrou um local cheiro de grandes estruturas.
— Fortaleza de Pedra, faz muito tempo que não visito esse local. Essa cidade foi grande uma vez, pelo visto até mesmo grandes casas podem cair — Lian comentou para si mesma, rindo um pouco de seu último comentário enquanto avançava mais pelo lugar. Percebeu que estava deserto, mais um momento de paz dentre vários que obteve em sua jornada.
Andava sem rumo, sentindo o vento em sua pele. Pensava sobre as pessoas que deixara para trás até que foi dispersa de seus pensamentos ao ouvir alguns ruídos estranhos, jogou suas coisas em um canto isolado e ficou com o rifle em mãos, correndo em direção de onde ouviu os barulhos, se escondendo nas sombras das ruínas.
Quando olhou por meio de um buraco pequeno na parede, observou que estava havendo um conflito entre várias pessoas e no meio delas se encontrava uma carroça abarrotada de tesouros preciosos. — Ladrões? —  perguntou baixinho, pensando por um momento e dando um leve sorriso. — Pelo visto terei que dar-lhes uma lição. Mostrarei a eles que posso assumir o controle de uma situação e revelar meu valor e poder — Lian saiu correndo de seu esconderijo atirando nos que estavam mais perto, derrubando-os até se aproximar da carroça onde duas pessoas se confrontavam.
A princesa atirou para o alto chamando a atenção dos dois, andando entre eles enquanto chutava um que estava em seu caminho e subindo em cima de outro, após achar que estava na hora de entrar em ação contra os últimos de pé, se virou para a direção deles e apontou seu rifle.
—  Ajoelhem-se! — falou antes do som de um disparo ser ouvido... 


Agradecemos novamente a todos que enviaram suas histórias! Vocês foram incríveis! Em breve faremos mais sorteios e concursos, então fiquem de olho por aqui.

A Escolhida da Casa de Aico - Paulo Ferreira: Enviada por link de download.
Verdadeiro Valor - Lianni Hikari: Enviada pelo Nyah!Fanfiction.

- Mephistia